A DANÇA DAS HORAS

Durante semanas, Stella trabalha seus movimentos com precisão. Ela vai dançar o papel principal de um balé eternamente romântico, adaptado por um coreógrafo contemporâneo.

Sua Companhia se apresentará em breve em Londres, sobre o palco do Royal Albert Hall. Stella adora sua atmosfera magnética e vai dançar tão próximo dos espectadores que poderá até sentir a emoção deles, frente a frente com centenas de pessoas. Ela tem especial afeição pelos sutis equilíbrios da dança e os reencontra em seu Mido Belluna Lady. Há um jogo entre o aço bicolor da caixa e da pulseira, e uma dualidade entre a estética bem feminina do relógio e a técnica do calibre 80, movimento mecânico de corda automática. Stella aprecia igualmente a marchetaria em madrepérola branca do mostrador, tão fino quanto a saia em tule que ela usará no Royal Albert Hall, emblema arquitetural de seu Belluna Lady.

O ensaio do balé chega ao fim. Stella troca a roupa por uma mais descontraída e, em um só gesto, coloca o Belluna Lady em seu pulso. "Tão gracioso de usar que eu poderia dançar com ele", diz ela em tom sonhador, hipnotizada pelo balé dos segundos.